Melancholy

Random Role Playing Game
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Continue a história

Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2  Seguinte
AutorMensagem
Eris
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 488
Data de inscrição : 16/09/2010
Idade : 21

Ficha do personagem
Nome: Eris

MensagemAssunto: Continue a história   Qua 22 Set 2010, 19:07

É simples. Eu começo com uma frase e o próximo jogador tem que continuar a história. :3

Ex.:
Spoiler:
 

Ready.... Start: O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia.

_____________________________________________________________________________________
Spoiler:
 


Última edição por Moonlight em Qui 23 Set 2010, 22:43, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://imaginaryrpg.forumeiros.net
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Continue a história   Qua 22 Set 2010, 19:21

Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eris
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 488
Data de inscrição : 16/09/2010
Idade : 21

Ficha do personagem
Nome: Eris

MensagemAssunto: Re: Continue a história   Qua 22 Set 2010, 20:19

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.

_____________________________________________________________________________________
Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://imaginaryrpg.forumeiros.net
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Continue a história   Qui 23 Set 2010, 19:16

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - eu gritei de volta
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eris
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 488
Data de inscrição : 16/09/2010
Idade : 21

Ficha do personagem
Nome: Eris

MensagemAssunto: Re: Continue a história   Qui 23 Set 2010, 20:42

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - eu gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.

_____________________________________________________________________________________
Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://imaginaryrpg.forumeiros.net
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Continue a história   Qui 23 Set 2010, 20:51

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - eu gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.
- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sunlight

avatar

Mensagens : 394
Data de inscrição : 18/09/2010
Localização : em algum lugar sombrio

MensagemAssunto: Re: Continue a história   Qui 23 Set 2010, 21:14

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - eu gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.
- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e nao reclama Yuryel que voce ja ta atrasada!! - retruco minha mae.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Continue a história   Qui 23 Set 2010, 21:24

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - eu gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.
- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e nao reclama Yuryel que voce ja ta atrasada!! - retruco minha mae.
Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eris
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 488
Data de inscrição : 16/09/2010
Idade : 21

Ficha do personagem
Nome: Eris

MensagemAssunto: Re: Continue a história   Qui 23 Set 2010, 22:43

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.
- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você ja ta atrasada!! - retrucou minha mae.
Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem.

_____________________________________________________________________________________
Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://imaginaryrpg.forumeiros.net
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Continue a história   Qui 23 Set 2010, 23:35

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.
- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você ja ta atrasada!! - retrucou minha mae.
Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem. As pessoas estavam se amontoando em volta da garota. Vinha muitas ambulâncias e uma delas levou a pobre menina. Quando sai dessa multidão, o garoto havia sumido.

P.S.: eu sei que escrevi demais, só que essa ideia veio.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eris
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 488
Data de inscrição : 16/09/2010
Idade : 21

Ficha do personagem
Nome: Eris

MensagemAssunto: Re: Continue a história   Sex 24 Set 2010, 17:54

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.
- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você ja ta atrasada!! - retrucou minha mae.
Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem. As pessoas estavam se amontoando em volta da garota. Vinha muitas ambulâncias e uma delas levou a pobre menina. Quando sai dessa multidão, o garoto havia sumido.

Estava atrasada, corri o máximo que pude para chegar na academia. Consegui chegar a tempo, antes de o professor chegar na sala. Estava totalmente cansada, não conseguia respirar direito, mas ainda sentei na minha carteira ao lado da janela.

- Ei, saia desse lugar agora. Ele é meu. - falou uma garota para mim.

Ela tinha um ar de chefe da área. O cabelo parecia o estilo punk, os olhares afiados que perfurava o coração, uma pinta preta no rosto e unhas pretas. Bom, eu não morri de medo, não sei porque. Virei-me e levantei uma sombrancelha.

- Bem... Que eu saiba, quem chegou primeiro pegou. A segunda não pega nada. Ache um outro lugar para você. - encarei a cara da garota estilo punk.

Senti um calafrio. Era melhor eu ter mantido a boca fechada e ter dado o lugar para ela porque ela tava "pegando fogo" de tanta raiva. Ela me jogou contra a parede com tanta força que quase quebrei as costelas.

- Não fique se achando, garotinha de terceira classe. - ela me congelou com os olhos frios dela.

- Você! Uma garota não deveria fazer isso certo? - era a voz de um garoto.

A voz era muito doce, como se eu fosse derreter só com isso.



_____________________________________________________________________________________
Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://imaginaryrpg.forumeiros.net
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Continue a história   Sex 24 Set 2010, 18:02

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.
- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você ja ta atrasada!! - retrucou minha mae.
Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem. As pessoas estavam se amontoando em volta da garota. Vinha muitas ambulâncias e uma delas levou a pobre menina. Quando sai dessa multidão, o garoto havia sumido.


Estava atrasada, corri o máximo que pude para chegar na academia. Consegui chegar a tempo, antes de o professor chegar na sala. Estava totalmente cansada, não conseguia respirar direito, mas ainda sentei na minha carteira ao lado da janela.

- Ei, saia desse lugar agora. Ele é meu. - falou uma garota para mim.

Ela tinha um ar de chefe da área. O cabelo parecia o estilo punk, os olhares afiados que perfurava o coração, uma pinta preta no rosto e unhas pretas. Bom, eu não morri de medo, não sei porque. Virei-me e levantei uma sombrancelha.

- Bem... Que eu saiba, quem chegou primeiro pegou. A segunda não pega nada. Ache um outro lugar para você. - encarei a cara da garota estilo punk.

Senti um calafrio. Era melhor eu ter mantido a boca fechada e ter dado o lugar para ela porque ela tava "pegando fogo" de tanta raiva. Ela me jogou contra a parede com tanta força que quase quebrei as costelas.

- Não fique se achando, garotinha de terceira classe. - ela me congelou com os olhos frios dela.

- Você! Uma garota não deveria fazer isso certo? - era a voz de um garoto.

A voz era muito doce, como se eu fosse derreter só com isso. Olhei para o dono da voz e eu percebi que conhecia ele de algum lugar. Pensei, pensei e pensei. Até que me lembrei: esse foi o garoto que havia visto no caminho da academia.
- Você, garota punk, solte ela agora mesmo! Você é uma menina ou um menino?! Você deve ser uma menina, mas o seu jeito é de menino!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eris
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 488
Data de inscrição : 16/09/2010
Idade : 21

Ficha do personagem
Nome: Eris

MensagemAssunto: Re: Continue a história   Sex 24 Set 2010, 18:13

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.
- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você já está atrasada!! - retrucou minha mãe.

Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem. As pessoas estavam se amontoando em volta da garota. Vinha muitas ambulâncias e uma delas levou a pobre menina. Quando sai dessa multidão, o garoto havia sumido.


Estava atrasada, corri o máximo que pude para chegar na academia. Consegui chegar a tempo, antes de o professor chegar na sala. Estava totalmente cansada, não conseguia respirar direito, mas ainda sentei na minha carteira ao lado da janela.

- Ei, saia desse lugar agora. Ele é meu. - falou uma garota para mim.

Ela tinha um ar de chefe da área. O cabelo parecia o estilo punk, os olhares afiados que perfurava o coração, uma pinta preta no rosto e unhas pretas. Bom, eu não morri de medo, não sei porque. Virei-me e levantei uma sombrancelha.

- Bem... Que eu saiba, quem chegou primeiro pegou. A segunda não pega nada. Ache um outro lugar para você. - encarei a cara da garota estilo punk.

Senti um calafrio. Era melhor eu ter mantido a boca fechada e ter dado o lugar para ela porque ela tava "pegando fogo" de tanta raiva. Ela me jogou contra a parede com tanta força que quase quebrei as costelas.

- Não fique se achando, garotinha de terceira classe. - ela me congelou com os olhos frios dela.

- Você! Uma garota não deveria fazer isso certo? - era a voz de um garoto.

A voz era muito doce, como se eu fosse derreter só com isso. Olhei para o dono da voz e eu percebi que conhecia ele de algum lugar. Pensei, pensei e pensei. Até que me lembrei: esse foi o garoto que havia visto no caminho da academia.

- Você, garota punk, solte ela agora mesmo! Você é uma menina ou um menino?! Você deve ser uma menina, mas o seu jeito é de menino!

Eu corei na mesma hora. Quando vi direito, ele tinha um cabelo loiro e alguns fios eram pretos. Tinha um colar de cruz no pescoço e olhos azuis que nem a cor do gelo. Prefiro não falar mais como ele é porque vou ter um sangramento nasal.

_____________________________________________________________________________________
Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://imaginaryrpg.forumeiros.net
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Continue a história   Sex 24 Set 2010, 18:32

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.
- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você já está atrasada!! - retrucou minha mãe.

Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem. As pessoas estavam se amontoando em volta da garota. Vinha muitas ambulâncias e uma delas levou a pobre menina. Quando sai dessa multidão, o garoto havia sumido.


Estava atrasada, corri o máximo que pude para chegar na academia. Consegui chegar a tempo, antes de o professor chegar na sala. Estava totalmente cansada, não conseguia respirar direito, mas ainda sentei na minha carteira ao lado da janela.

- Ei, saia desse lugar agora. Ele é meu. - falou uma garota para mim.

Ela tinha um ar de chefe da área. O cabelo parecia o estilo punk, os olhares afiados que perfurava o coração, uma pinta preta no rosto e unhas pretas. Bom, eu não morri de medo, não sei porque. Virei-me e levantei uma sombrancelha.

- Bem... Que eu saiba, quem chegou primeiro pegou. A segunda não pega nada. Ache um outro lugar para você. - encarei a cara da garota estilo punk.

Senti um calafrio. Era melhor eu ter mantido a boca fechada e ter dado o lugar para ela porque ela tava "pegando fogo" de tanta raiva. Ela me jogou contra a parede com tanta força que quase quebrei as costelas.

- Não fique se achando, garotinha de terceira classe. - ela me congelou com os olhos frios dela.

- Você! Uma garota não deveria fazer isso certo? - era a voz de um garoto.

A voz era muito doce, como se eu fosse derreter só com isso. Olhei para o dono da voz e eu percebi que conhecia ele de algum lugar. Pensei, pensei e pensei. Até que me lembrei: esse foi o garoto que havia visto no caminho da academia.

- Você, garota punk, solte ela agora mesmo! Você é uma menina ou um menino?! Você deve ser uma menina, mas o seu jeito é de menino!

Eu corei na mesma hora. Quando vi direito, ele tinha um cabelo loiro e alguns fios eram pretos. Tinha um colar de cruz no pescoço e olhos azuis que nem a cor do gelo. Prefiro não falar mais como ele é porque vou ter um sangramento nasal. A garota punk me soltou e saiu da sala me encarando.
- Você está bem? Espero que esteja. - ele olhou para mim sorrindo
- Sim, estou. A quem posso agradecer.
- Desculpa, eu esqueci de me apresentar. Sou Sohrain Hellgrait, prazer em conhecê-la.
- Tudo bem. Sou Yuryel Meirè. Prazer em te conhecer também.
- Bom, não se importe com a Kurakabe Meiry. Ela sempre foi assim. Conheço ela desde a infância.
- Nossa. Vocês devem ser bons amigos. Os dois se conhecem a muito tempo!
- Na verdade, não somos. Ela me persegue toda hora e eu não gosto dela.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sunlight

avatar

Mensagens : 394
Data de inscrição : 18/09/2010
Localização : em algum lugar sombrio

MensagemAssunto: Re: Continue a história   Sab 25 Set 2010, 19:35

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.
- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você já está atrasada!! - retrucou minha mãe.

Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem. As pessoas estavam se amontoando em volta da garota. Vinha muitas ambulâncias e uma delas levou a pobre menina. Quando sai dessa multidão, o garoto havia sumido.


Estava atrasada, corri o máximo que pude para chegar na academia. Consegui chegar a tempo, antes de o professor chegar na sala. Estava totalmente cansada, não conseguia respirar direito, mas ainda sentei na minha carteira ao lado da janela.

- Ei, saia desse lugar agora. Ele é meu. - falou uma garota para mim.

Ela tinha um ar de chefe da área. O cabelo parecia o estilo punk, os olhares afiados que perfurava o coração, uma pinta preta no rosto e unhas pretas. Bom, eu não morri de medo, não sei porque. Virei-me e levantei uma sombrancelha.

- Bem... Que eu saiba, quem chegou primeiro pegou. A segunda não pega nada. Ache um outro lugar para você. - encarei a cara da garota estilo punk.

Senti um calafrio. Era melhor eu ter mantido a boca fechada e ter dado o lugar para ela porque ela tava "pegando fogo" de tanta raiva. Ela me jogou contra a parede com tanta força que quase quebrei as costelas.

- Não fique se achando, garotinha de terceira classe. - ela me congelou com os olhos frios dela.

- Você! Uma garota não deveria fazer isso certo? - era a voz de um garoto.

A voz era muito doce, como se eu fosse derreter só com isso. Olhei para o dono da voz e eu percebi que conhecia ele de algum lugar. Pensei, pensei e pensei. Até que me lembrei: esse foi o garoto que havia visto no caminho da academia.

- Você, garota punk, solte ela agora mesmo! Você é uma menina ou um menino?! Você deve ser uma menina, mas o seu jeito é de menino!

Eu corei na mesma hora. Quando vi direito, ele tinha um cabelo loiro e alguns fios eram pretos. Tinha um colar de cruz no pescoço e olhos azuis que nem a cor do gelo. Prefiro não falar mais como ele é porque vou ter um sangramento nasal. A garota punk me soltou e saiu da sala me encarando.
- Você está bem? Espero que esteja. - ele olhou para mim sorrindo
- Sim, estou. A quem posso agradecer.
- Desculpa, eu esqueci de me apresentar. Sou Sohrain Hellgrait, prazer em conhecê-la.
- Tudo bem. Sou Yuryel Meirè. Prazer em te conhecer também.
- Bom, não se importe com a Kurakabe Meiry. Ela sempre foi assim. Conheço ela desde a infância.
- Nossa. Vocês devem ser bons amigos. Os dois se conhecem a muito tempo!
- Na verdade, não somos. Ela me persegue toda hora e eu não gosto dela.
- Achei que voces nao se conheciam do jeito que voce a chamou -.-.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Continue a história   Dom 26 Set 2010, 18:37

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.
- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você já está atrasada!! - retrucou minha mãe.

Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem. As pessoas estavam se amontoando em volta da garota. Vinha muitas ambulâncias e uma delas levou a pobre menina. Quando sai dessa multidão, o garoto havia sumido.


Estava atrasada, corri o máximo que pude para chegar na academia. Consegui chegar a tempo, antes de o professor chegar na sala. Estava totalmente cansada, não conseguia respirar direito, mas ainda sentei na minha carteira ao lado da janela.

- Ei, saia desse lugar agora. Ele é meu. - falou uma garota para mim.

Ela tinha um ar de chefe da área. O cabelo parecia o estilo punk, os olhares afiados que perfurava o coração, uma pinta preta no rosto e unhas pretas. Bom, eu não morri de medo, não sei porque. Virei-me e levantei uma sombrancelha.

- Bem... Que eu saiba, quem chegou primeiro pegou. A segunda não pega nada. Ache um outro lugar para você. - encarei a cara da garota estilo punk.

Senti um calafrio. Era melhor eu ter mantido a boca fechada e ter dado o lugar para ela porque ela tava "pegando fogo" de tanta raiva. Ela me jogou contra a parede com tanta força que quase quebrei as costelas.

- Não fique se achando, garotinha de terceira classe. - ela me congelou com os olhos frios dela.

- Você! Uma garota não deveria fazer isso certo? - era a voz de um garoto.

A voz era muito doce, como se eu fosse derreter só com isso. Olhei para o dono da voz e eu percebi que conhecia ele de algum lugar. Pensei, pensei e pensei. Até que me lembrei: esse foi o garoto que havia visto no caminho da academia.

- Você, garota punk, solte ela agora mesmo! Você é uma menina ou um menino?! Você deve ser uma menina, mas o seu jeito é de menino!

Eu corei na mesma hora. Quando vi direito, ele tinha um cabelo loiro e alguns fios eram pretos. Tinha um colar de cruz no pescoço e olhos azuis que nem a cor do gelo. Prefiro não falar mais como ele é porque vou ter um sangramento nasal. A garota punk me soltou e saiu da sala me encarando.
- Você está bem? Espero que esteja. - ele olhou para mim sorrindo
- Sim, estou. A quem posso agradecer.
- Desculpa, eu esqueci de me apresentar. Sou Sohrain Hellgrait, prazer em conhecê-la.
- Tudo bem. Sou Yuryel Meirè. Prazer em te conhecer também.
- Bom, não se importe com a Kurakabe Meiry. Ela sempre foi assim. Conheço ela desde a infância.
- Nossa. Vocês devem ser bons amigos. Os dois se conhecem a muito tempo!
- Na verdade, não somos. Ela me persegue toda hora e eu não gosto dela.
- Achei que voces nao se conheciam do jeito que voce a chamou -.-.
- Haha, mas conhecemos desde pequenos.
Ele disse que tinha que ir e foi saindo da sala. Eu fiquei totalmente paralisada na hora, porque era muita coincidência encontrá-lo. Fiz minha aula na academia, depois peguei minhas coisas e fui. Estava a caminho da escola, andando feliz da vida e sem perceber, eu tinha esbarrado numa pessoa. Rapidamente me levantei e pedi desculpas um milhão de vezes. A pessoa me disse que estava tudo bem. Não sei por que, mas eu acho que conhecia a voz, então olhei para a pessoa e era o Sohrain Hellgrait!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sunlight

avatar

Mensagens : 394
Data de inscrição : 18/09/2010
Localização : em algum lugar sombrio

MensagemAssunto: Re: Continue a história   Dom 26 Set 2010, 19:26

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.
- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você já está atrasada!! - retrucou minha mãe.

Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem. As pessoas estavam se amontoando em volta da garota. Vinha muitas ambulâncias e uma delas levou a pobre menina. Quando sai dessa multidão, o garoto havia sumido.


Estava atrasada, corri o máximo que pude para chegar na academia. Consegui chegar a tempo, antes de o professor chegar na sala. Estava totalmente cansada, não conseguia respirar direito, mas ainda sentei na minha carteira ao lado da janela.

- Ei, saia desse lugar agora. Ele é meu. - falou uma garota para mim.

Ela tinha um ar de chefe da área. O cabelo parecia o estilo punk, os olhares afiados que perfurava o coração, uma pinta preta no rosto e unhas pretas. Bom, eu não morri de medo, não sei porque. Virei-me e levantei uma sombrancelha.

- Bem... Que eu saiba, quem chegou primeiro pegou. A segunda não pega nada. Ache um outro lugar para você. - encarei a cara da garota estilo punk.

Senti um calafrio. Era melhor eu ter mantido a boca fechada e ter dado o lugar para ela porque ela tava "pegando fogo" de tanta raiva. Ela me jogou contra a parede com tanta força que quase quebrei as costelas.

- Não fique se achando, garotinha de terceira classe. - ela me congelou com os olhos frios dela.

- Você! Uma garota não deveria fazer isso certo? - era a voz de um garoto.

A voz era muito doce, como se eu fosse derreter só com isso. Olhei para o dono da voz e eu percebi que conhecia ele de algum lugar. Pensei, pensei e pensei. Até que me lembrei: esse foi o garoto que havia visto no caminho da academia.

- Você, garota punk, solte ela agora mesmo! Você é uma menina ou um menino?! Você deve ser uma menina, mas o seu jeito é de menino!

Eu corei na mesma hora. Quando vi direito, ele tinha um cabelo loiro e alguns fios eram pretos. Tinha um colar de cruz no pescoço e olhos azuis que nem a cor do gelo. Prefiro não falar mais como ele é porque vou ter um sangramento nasal. A garota punk me soltou e saiu da sala me encarando.
- Você está bem? Espero que esteja. - ele olhou para mim sorrindo
- Sim, estou. A quem posso agradecer.
- Desculpa, eu esqueci de me apresentar. Sou Sohrain Hellgrait, prazer em conhecê-la.
- Tudo bem. Sou Yuryel Meirè. Prazer em te conhecer também.
- Bom, não se importe com a Kurakabe Meiry. Ela sempre foi assim. Conheço ela desde a infância.
- Nossa. Vocês devem ser bons amigos. Os dois se conhecem a muito tempo!
- Na verdade, não somos. Ela me persegue toda hora e eu não gosto dela.
- Achei que voces nao se conheciam do jeito que voce a chamou -.-.
- Haha, mas conhecemos desde pequenos.
Ele disse que tinha que ir e foi saindo da sala. Eu fiquei totalmente paralisada na hora, porque era muita coincidência encontrá-lo. Fiz minha aula na academia, depois peguei minhas coisas e fui. Estava a caminho da escola, andando feliz da vida e sem perceber, eu tinha esbarrado numa pessoa. Rapidamente me levantei e pedi desculpas um milhão de vezes. A pessoa me disse que estava tudo bem. Não sei por que, mas eu acho que conhecia a voz, então olhei para a pessoa e era o Sohrain Hellgrait!
Entao eu pensei " ou ele esta me perseguindo ou tem coisa errada aki, soh encontro ele td hr"
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Continue a história   Dom 26 Set 2010, 19:31

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.
- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você já está atrasada!! - retrucou minha mãe.

Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem. As pessoas estavam se amontoando em volta da garota. Vinha muitas ambulâncias e uma delas levou a pobre menina. Quando sai dessa multidão, o garoto havia sumido.


Estava atrasada, corri o máximo que pude para chegar na academia. Consegui chegar a tempo, antes de o professor chegar na sala. Estava totalmente cansada, não conseguia respirar direito, mas ainda sentei na minha carteira ao lado da janela.

- Ei, saia desse lugar agora. Ele é meu. - falou uma garota para mim.

Ela tinha um ar de chefe da área. O cabelo parecia o estilo punk, os olhares afiados que perfurava o coração, uma pinta preta no rosto e unhas pretas. Bom, eu não morri de medo, não sei porque. Virei-me e levantei uma sombrancelha.

- Bem... Que eu saiba, quem chegou primeiro pegou. A segunda não pega nada. Ache um outro lugar para você. - encarei a cara da garota estilo punk.

Senti um calafrio. Era melhor eu ter mantido a boca fechada e ter dado o lugar para ela porque ela tava "pegando fogo" de tanta raiva. Ela me jogou contra a parede com tanta força que quase quebrei as costelas.

- Não fique se achando, garotinha de terceira classe. - ela me congelou com os olhos frios dela.

- Você! Uma garota não deveria fazer isso certo? - era a voz de um garoto.

A voz era muito doce, como se eu fosse derreter só com isso. Olhei para o dono da voz e eu percebi que conhecia ele de algum lugar. Pensei, pensei e pensei. Até que me lembrei: esse foi o garoto que havia visto no caminho da academia.

- Você, garota punk, solte ela agora mesmo! Você é uma menina ou um menino?! Você deve ser uma menina, mas o seu jeito é de menino!

Eu corei na mesma hora. Quando vi direito, ele tinha um cabelo loiro e alguns fios eram pretos. Tinha um colar de cruz no pescoço e olhos azuis que nem a cor do gelo. Prefiro não falar mais como ele é porque vou ter um sangramento nasal. A garota punk me soltou e saiu da sala me encarando.
- Você está bem? Espero que esteja. - ele olhou para mim sorrindo
- Sim, estou. A quem posso agradecer.
- Desculpa, eu esqueci de me apresentar. Sou Sohrain Hellgrait, prazer em conhecê-la.
- Tudo bem. Sou Yuryel Meirè. Prazer em te conhecer também.
- Bom, não se importe com a Kurakabe Meiry. Ela sempre foi assim. Conheço ela desde a infância.
- Nossa. Vocês devem ser bons amigos. Os dois se conhecem a muito tempo!
- Na verdade, não somos. Ela me persegue toda hora e eu não gosto dela.
- Achei que voces nao se conheciam do jeito que voce a chamou -.-.
- Haha, mas conhecemos desde pequenos.
Ele disse que tinha que ir e foi saindo da sala. Eu fiquei totalmente paralisada na hora, porque era muita coincidência encontrá-lo. Fiz minha aula na academia, depois peguei minhas coisas e fui. Estava a caminho da escola, andando feliz da vida e sem perceber, eu tinha esbarrado numa pessoa. Rapidamente me levantei e pedi desculpas um milhão de vezes. A pessoa me disse que estava tudo bem. Não sei por que, mas eu acho que conhecia a voz, então olhei para a pessoa e era o Sohrain Hellgrait!
Entao eu pensei " ou ele esta me perseguindo ou tem coisa errada aki, soh encontro ele td hr"
Fui conversando e conversando e descobri que ele andava na mesma escola que eu! Decidimos então ir na escola juntos todo dia. Fiquei tão feliz com isso que dei até um pulo de alegria. Só que corei, porque ele estava lá e me viu comemorando.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eris
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 488
Data de inscrição : 16/09/2010
Idade : 21

Ficha do personagem
Nome: Eris

MensagemAssunto: Re: Continue a história   Seg 27 Set 2010, 08:44

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.
- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você já está atrasada!! - retrucou minha mãe.

Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem. As pessoas estavam se amontoando em volta da garota. Vinha muitas ambulâncias e uma delas levou a pobre menina. Quando sai dessa multidão, o garoto havia sumido.


Estava atrasada, corri o máximo que pude para chegar na academia. Consegui chegar a tempo, antes de o professor chegar na sala. Estava totalmente cansada, não conseguia respirar direito, mas ainda sentei na minha carteira ao lado da janela.

- Ei, saia desse lugar agora. Ele é meu. - falou uma garota para mim.

Ela tinha um ar de chefe da área. O cabelo parecia o estilo punk, os olhares afiados que perfurava o coração, uma pinta preta no rosto e unhas pretas. Bom, eu não morri de medo, não sei porque. Virei-me e levantei uma sombrancelha.

- Bem... Que eu saiba, quem chegou primeiro pegou. A segunda não pega nada. Ache um outro lugar para você. - encarei a cara da garota estilo punk.

Senti um calafrio. Era melhor eu ter mantido a boca fechada e ter dado o lugar para ela porque ela tava "pegando fogo" de tanta raiva. Ela me jogou contra a parede com tanta força que quase quebrei as costelas.

- Não fique se achando, garotinha de terceira classe. - ela me congelou com os olhos frios dela.

- Você! Uma garota não deveria fazer isso certo? - era a voz de um garoto.

A voz era muito doce, como se eu fosse derreter só com isso. Olhei para o dono da voz e eu percebi que conhecia ele de algum lugar. Pensei, pensei e pensei. Até que me lembrei: esse foi o garoto que havia visto no caminho da academia.

- Você, garota punk, solte ela agora mesmo! Você é uma menina ou um menino?! Você deve ser uma menina, mas o seu jeito é de menino!

Eu corei na mesma hora. Quando vi direito, ele tinha um cabelo loiro e alguns fios eram pretos. Tinha um colar de cruz no pescoço e olhos azuis que nem a cor do gelo. Prefiro não falar mais como ele é porque vou ter um sangramento nasal. A garota punk me soltou e saiu da sala me encarando.
- Você está bem? Espero que esteja. - ele olhou para mim sorrindo
- Sim, estou. A quem posso agradecer.
- Desculpa, eu esqueci de me apresentar. Sou Sohrain Hellgrait, prazer em conhecê-la.
- Tudo bem. Sou Yuryel Meirè. Prazer em te conhecer também.
- Bom, não se importe com a Kurakabe Meiry. Ela sempre foi assim. Conheço ela desde a infância.
- Nossa. Vocês devem ser bons amigos. Os dois se conhecem a muito tempo!
- Na verdade, não somos. Ela me persegue toda hora e eu não gosto dela.
- Achei que voces nao se conheciam do jeito que você a chamou - .-.
- Haha, mas conhecemos desde pequenos.
Ele disse que tinha que ir e foi saindo da sala. Eu fiquei totalmente paralisada na hora, porque era muita coincidência encontrá-lo. Fiz minha aula na academia, depois peguei minhas coisas e fui. Estava a caminho da escola, andando feliz da vida e sem perceber, eu tinha esbarrado numa pessoa. Rapidamente me levantei e pedi desculpas um milhão de vezes. A pessoa me disse que estava tudo bem. Não sei por que, mas eu acho que conhecia a voz, então olhei para a pessoa e era o Sohrain Hellgrait!
Entao eu pensei " ou ele esta me perseguindo ou tem coisa errada aki, soh encontro ele toda hora"
Fui conversando e conversando e descobri que ele andava na mesma escola que eu! Decidimos então ir na escola juntos todo dia. Fiquei tão feliz com isso que dei até um pulo de alegria. Só que corei, porque ele estava lá e me viu comemorando.
Estávamos na mesma classe, por coincidência. Realmente, como pode? Então, chegou a aula de Educação Física. Como a nossa professora faltou, as garotas tiveram de fazer Educação Física com os garotos. Os garotos estavam jogando basquete, depois seria nossa vez. Sentei no chão e encostei na parede e comecei a olhar o Sohrain jogar.

_____________________________________________________________________________________
Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://imaginaryrpg.forumeiros.net
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Continue a história   Seg 27 Set 2010, 17:47

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.
- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você já está atrasada!! - retrucou minha mãe.

Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem. As pessoas estavam se amontoando em volta da garota. Vinha muitas ambulâncias e uma delas levou a pobre menina. Quando sai dessa multidão, o garoto havia sumido.


Estava atrasada, corri o máximo que pude para chegar na academia. Consegui chegar a tempo, antes de o professor chegar na sala. Estava totalmente cansada, não conseguia respirar direito, mas ainda sentei na minha carteira ao lado da janela.

- Ei, saia desse lugar agora. Ele é meu. - falou uma garota para mim.

Ela tinha um ar de chefe da área. O cabelo parecia o estilo punk, os olhares afiados que perfurava o coração, uma pinta preta no rosto e unhas pretas. Bom, eu não morri de medo, não sei porque. Virei-me e levantei uma sombrancelha.

- Bem... Que eu saiba, quem chegou primeiro pegou. A segunda não pega nada. Ache um outro lugar para você. - encarei a cara da garota estilo punk.

Senti um calafrio. Era melhor eu ter mantido a boca fechada e ter dado o lugar para ela porque ela tava "pegando fogo" de tanta raiva. Ela me jogou contra a parede com tanta força que quase quebrei as costelas.

- Não fique se achando, garotinha de terceira classe. - ela me congelou com os olhos frios dela.

- Você! Uma garota não deveria fazer isso certo? - era a voz de um garoto.

A voz era muito doce, como se eu fosse derreter só com isso. Olhei para o dono da voz e eu percebi que conhecia ele de algum lugar. Pensei, pensei e pensei. Até que me lembrei: esse foi o garoto que havia visto no caminho da academia.

- Você, garota punk, solte ela agora mesmo! Você é uma menina ou um menino?! Você deve ser uma menina, mas o seu jeito é de menino!

Eu corei na mesma hora. Quando vi direito, ele tinha um cabelo loiro e alguns fios eram pretos. Tinha um colar de cruz no pescoço e olhos azuis que nem a cor do gelo. Prefiro não falar mais como ele é porque vou ter um sangramento nasal. A garota punk me soltou e saiu da sala me encarando.
- Você está bem? Espero que esteja. - ele olhou para mim sorrindo
- Sim, estou. A quem posso agradecer.
- Desculpa, eu esqueci de me apresentar. Sou Sohrain Hellgrait, prazer em conhecê-la.
- Tudo bem. Sou Yuryel Meirè. Prazer em te conhecer também.
- Bom, não se importe com a Kurakabe Meiry. Ela sempre foi assim. Conheço ela desde a infância.
- Nossa. Vocês devem ser bons amigos. Os dois se conhecem a muito tempo!
- Na verdade, não somos. Ela me persegue toda hora e eu não gosto dela.
- Achei que voces nao se conheciam do jeito que você a chamou - .-.
- Haha, mas conhecemos desde pequenos.
Ele disse que tinha que ir e foi saindo da sala. Eu fiquei totalmente paralisada na hora, porque era muita coincidência encontrá-lo. Fiz minha aula na academia, depois peguei minhas coisas e fui. Estava a caminho da escola, andando feliz da vida e sem perceber, eu tinha esbarrado numa pessoa. Rapidamente me levantei e pedi desculpas um milhão de vezes. A pessoa me disse que estava tudo bem. Não sei por que, mas eu acho que conhecia a voz, então olhei para a pessoa e era o Sohrain Hellgrait!
Entao eu pensei " ou ele esta me perseguindo ou tem coisa errada aki, soh encontro ele toda hora"
Fui conversando e conversando e descobri que ele andava na mesma escola que eu! Decidimos então ir na escola juntos todo dia. Fiquei tão feliz com isso que dei até um pulo de alegria. Só que corei, porque ele estava lá e me viu comemorando.
Estávamos na mesma classe, por coincidência. Realmente, como pode? Então, chegou a aula de Educação Física. Como a nossa professora faltou, as garotas tiveram de fazer Educação Física com os garotos. Os garotos estavam jogando basquete, depois seria nossa vez. Sentei no chão e encostei na parede e comecei a olhar o Sohrain jogar. Sohrain jogava tão bem que corei por dentro. Os cabelos dele voavam cada vez que ele pulava para fazer uma cesta. Estava imaginando como iria ser o nosso beijo. Parecia ser tão bom. De repente, ouvi alguém dizer:
- Do que você está falando? - disse rindo
- Ah. Nada não. - fiquei corada
Ele se levantou e foi para o banheiro se lavar, pois estava muito suado. Era a vez das garotas jogarem e eu não era boa em basquete, decidi então me esforçar muito pelo Sohrain. Fiquei jogando esforçadamente e de vez em quando, ficava vendo o doce olhar do Sohrain. Ele estava olhando para mim! Desta vez, corei mesmo. Devia ter ficado vermelha que nem pimenta.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eris
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 488
Data de inscrição : 16/09/2010
Idade : 21

Ficha do personagem
Nome: Eris

MensagemAssunto: Re: Continue a história   Seg 27 Set 2010, 18:11

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.

- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você já está atrasada!! - retrucou minha mãe.

Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem. As pessoas estavam se amontoando em volta da garota. Vinha muitas ambulâncias e uma delas levou a pobre menina. Quando sai dessa multidão, o garoto havia sumido.


Estava atrasada, corri o máximo que pude para chegar na academia. Consegui chegar a tempo, antes de o professor chegar na sala. Estava totalmente cansada, não conseguia respirar direito, mas ainda sentei na minha carteira ao lado da janela.

- Ei, saia desse lugar agora. Ele é meu. - falou uma garota para mim.

Ela tinha um ar de chefe da área. O cabelo parecia o estilo punk, os olhares afiados que perfurava o coração, uma pinta preta no rosto e unhas pretas. Bom, eu não morri de medo, não sei porque. Virei-me e levantei uma sombrancelha.

- Bem... Que eu saiba, quem chegou primeiro pegou. A segunda não pega nada. Ache um outro lugar para você. - encarei a cara da garota estilo punk.

Senti um calafrio. Era melhor eu ter mantido a boca fechada e ter dado o lugar para ela porque ela tava "pegando fogo" de tanta raiva. Ela me jogou contra a parede com tanta força que quase quebrei as costelas.

- Não fique se achando, garotinha de terceira classe. - ela me congelou com os olhos frios dela.

- Você! Uma garota não deveria fazer isso certo? - era a voz de um garoto.

A voz era muito doce, como se eu fosse derreter só com isso. Olhei para o dono da voz e eu percebi que conhecia ele de algum lugar. Pensei, pensei e pensei. Até que me lembrei: esse foi o garoto que havia visto no caminho da academia.

- Você, garota punk, solte ela agora mesmo! Você é uma menina ou um menino?! Você deve ser uma menina, mas o seu jeito é de menino!

Eu corei na mesma hora. Quando vi direito, ele tinha um cabelo loiro e alguns fios eram pretos. Tinha um colar de cruz no pescoço e olhos azuis que nem a cor do gelo. Prefiro não falar mais como ele é porque vou ter um sangramento nasal. A garota punk me soltou e saiu da sala me encarando.

- Você está bem? Espero que esteja. - ele olhou para mim sorrindo
- Sim, estou. A quem posso agradecer.
- Desculpa, eu esqueci de me apresentar. Sou Sohrain Hellgrait, prazer em conhecê-la.
- Tudo bem. Sou Yuryel Meirè. Prazer em te conhecer também.
- Bom, não se importe com a Kurakabe Meiry. Ela sempre foi assim. Conheço ela desde a infância.

- Nossa. Vocês devem ser bons amigos. Os dois se conhecem a muito tempo!
- Na verdade, não somos. Ela me persegue toda hora e eu não gosto dela.
- Achei que voces nao se conheciam do jeito que você a chamou - .-.
- Haha, mas conhecemos desde pequenos.

Ele disse que tinha que ir e foi saindo da sala. Eu fiquei totalmente paralisada na hora, porque era muita coincidência encontrá-lo. Fiz minha aula na academia, depois peguei minhas coisas e fui. Estava a caminho da escola, andando feliz da vida e sem perceber, eu tinha esbarrado numa pessoa. Rapidamente me levantei e pedi desculpas um milhão de vezes. A pessoa me disse que estava tudo bem. Não sei por que, mas eu acho que conhecia a voz, então olhei para a pessoa e era o Sohrain Hellgrait!
Entao eu pensei " ou ele esta me perseguindo ou tem coisa errada aki, soh encontro ele toda hora"
Fui conversando e conversando e descobri que ele andava na mesma escola que eu! Decidimos então ir na escola juntos todo dia. Fiquei tão feliz com isso que dei até um pulo de alegria. Só que corei, porque ele estava lá e me viu comemorando.
Estávamos na mesma classe, por coincidência. Realmente, como pode? Então, chegou a aula de Educação Física. Como a nossa professora faltou, as garotas tiveram de fazer Educação Física com os garotos. Os garotos estavam jogando basquete, depois seria nossa vez. Sentei no chão e encostei na parede e comecei a olhar o Sohrain jogar. Sohrain jogava tão bem que corei por dentro. Os cabelos dele voavam cada vez que ele pulava para fazer uma cesta. Estava imaginando como iria ser o nosso beijo. Parecia ser tão bom. De repente, ouvi alguém dizer:

- Do que você está falando? - disse rindo
- Ah. Nada não. - fiquei corada.

Ele se levantou e foi para o banheiro se lavar, pois estava muito suado. Era a vez das garotas jogarem e eu não era boa em basquete, decidi então me esforçar muito pelo Sohrain. Fiquei jogando esforçadamente e de vez em quando, ficava vendo o doce olhar do Sohrain. Ele estava olhando para mim! Desta vez, corei mesmo. Devia ter ficado vermelha que nem pimenta.

- Ei!! Olhe a bola, cuidado! - disse alguém do meu time.

Percebi tarde demais, a bola de basquete bateu com muita força na minha cabeça. Caí no chão tonta e desmaiei. A única coisa que vi, foi o rosto do Sohrain. E frases como, eu levo ela para a enfermaria! e vou carregá-la nas costas ou nos braços.

_____________________________________________________________________________________
Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://imaginaryrpg.forumeiros.net
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Continue a história   Seg 27 Set 2010, 19:43

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.

- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você já está atrasada!! - retrucou minha mãe.

Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem. As pessoas estavam se amontoando em volta da garota. Vinha muitas ambulâncias e uma delas levou a pobre menina. Quando sai dessa multidão, o garoto havia sumido.


Estava atrasada, corri o máximo que pude para chegar na academia. Consegui chegar a tempo, antes de o professor chegar na sala. Estava totalmente cansada, não conseguia respirar direito, mas ainda sentei na minha carteira ao lado da janela.

- Ei, saia desse lugar agora. Ele é meu. - falou uma garota para mim.

Ela tinha um ar de chefe da área. O cabelo parecia o estilo punk, os olhares afiados que perfurava o coração, uma pinta preta no rosto e unhas pretas. Bom, eu não morri de medo, não sei porque. Virei-me e levantei uma sombrancelha.

- Bem... Que eu saiba, quem chegou primeiro pegou. A segunda não pega nada. Ache um outro lugar para você. - encarei a cara da garota estilo punk.

Senti um calafrio. Era melhor eu ter mantido a boca fechada e ter dado o lugar para ela porque ela tava "pegando fogo" de tanta raiva. Ela me jogou contra a parede com tanta força que quase quebrei as costelas.

- Não fique se achando, garotinha de terceira classe. - ela me congelou com os olhos frios dela.

- Você! Uma garota não deveria fazer isso certo? - era a voz de um garoto.

A voz era muito doce, como se eu fosse derreter só com isso. Olhei para o dono da voz e eu percebi que conhecia ele de algum lugar. Pensei, pensei e pensei. Até que me lembrei: esse foi o garoto que havia visto no caminho da academia.

- Você, garota punk, solte ela agora mesmo! Você é uma menina ou um menino?! Você deve ser uma menina, mas o seu jeito é de menino!

Eu corei na mesma hora. Quando vi direito, ele tinha um cabelo loiro e alguns fios eram pretos. Tinha um colar de cruz no pescoço e olhos azuis que nem a cor do gelo. Prefiro não falar mais como ele é porque vou ter um sangramento nasal. A garota punk me soltou e saiu da sala me encarando.

- Você está bem? Espero que esteja. - ele olhou para mim sorrindo
- Sim, estou. A quem posso agradecer.
- Desculpa, eu esqueci de me apresentar. Sou Sohrain Hellgrait, prazer em conhecê-la.
- Tudo bem. Sou Yuryel Meirè. Prazer em te conhecer também.
- Bom, não se importe com a Kurakabe Meiry. Ela sempre foi assim. Conheço ela desde a infância.

- Nossa. Vocês devem ser bons amigos. Os dois se conhecem a muito tempo!
- Na verdade, não somos. Ela me persegue toda hora e eu não gosto dela.
- Achei que voces nao se conheciam do jeito que você a chamou - .-.
- Haha, mas conhecemos desde pequenos.

Ele disse que tinha que ir e foi saindo da sala. Eu fiquei totalmente paralisada na hora, porque era muita coincidência encontrá-lo. Fiz minha aula na academia, depois peguei minhas coisas e fui. Estava a caminho da escola, andando feliz da vida e sem perceber, eu tinha esbarrado numa pessoa. Rapidamente me levantei e pedi desculpas um milhão de vezes. A pessoa me disse que estava tudo bem. Não sei por que, mas eu acho que conhecia a voz, então olhei para a pessoa e era o Sohrain Hellgrait!
Entao eu pensei " ou ele esta me perseguindo ou tem coisa errada aki, soh encontro ele toda hora"
Fui conversando e conversando e descobri que ele andava na mesma escola que eu! Decidimos então ir na escola juntos todo dia. Fiquei tão feliz com isso que dei até um pulo de alegria. Só que corei, porque ele estava lá e me viu comemorando.
Estávamos na mesma classe, por coincidência. Realmente, como pode? Então, chegou a aula de Educação Física. Como a nossa professora faltou, as garotas tiveram de fazer Educação Física com os garotos. Os garotos estavam jogando basquete, depois seria nossa vez. Sentei no chão e encostei na parede e comecei a olhar o Sohrain jogar. Sohrain jogava tão bem que corei por dentro. Os cabelos dele voavam cada vez que ele pulava para fazer uma cesta. Estava imaginando como iria ser o nosso beijo. Parecia ser tão bom. De repente, ouvi alguém dizer:

- Do que você está falando? - disse rindo
- Ah. Nada não. - fiquei corada.

Ele se levantou e foi para o banheiro se lavar, pois estava muito suado. Era a vez das garotas jogarem e eu não era boa em basquete, decidi então me esforçar muito pelo Sohrain. Fiquei jogando esforçadamente e de vez em quando, ficava vendo o doce olhar do Sohrain. Ele estava olhando para mim! Desta vez, corei mesmo. Devia ter ficado vermelha que nem pimenta.

- Ei!! Olhe a bola, cuidado! - disse alguém do meu time.

Percebi tarde demais, a bola de basquete bateu com muita força na minha cabeça. Caí no chão tonta e desmaiei. A única coisa que vi, foi o rosto do Sohrain. E frases como, eu levo ela para a enfermaria! e vou carregá-la nas costas ou nos braços.

Fiquei inconsciente por muito tempo, até que uma hora, acordei. Estava num quarto de hospital muito bonito. Olhei por todos lados, até que vi uma figura de um homem. Não sabia quem era, pois ainda não enxergava direito. O homem percebeu que eu estava consciente e logo começou a gritar:
- A Yuryel acordou! Doutor, ela acordou! - disse uma pessoa muito animada
Eu logo reconheci essa voz, era a voz do Sohrain!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sunlight

avatar

Mensagens : 394
Data de inscrição : 18/09/2010
Localização : em algum lugar sombrio

MensagemAssunto: Re: Continue a história   Seg 27 Set 2010, 21:08

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.

- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você já está atrasada!! - retrucou minha mãe.

Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem. As pessoas estavam se amontoando em volta da garota. Vinha muitas ambulâncias e uma delas levou a pobre menina. Quando sai dessa multidão, o garoto havia sumido.


Estava atrasada, corri o máximo que pude para chegar na academia. Consegui chegar a tempo, antes de o professor chegar na sala. Estava totalmente cansada, não conseguia respirar direito, mas ainda sentei na minha carteira ao lado da janela.

- Ei, saia desse lugar agora. Ele é meu. - falou uma garota para mim.

Ela tinha um ar de chefe da área. O cabelo parecia o estilo punk, os olhares afiados que perfurava o coração, uma pinta preta no rosto e unhas pretas. Bom, eu não morri de medo, não sei porque. Virei-me e levantei uma sombrancelha.

- Bem... Que eu saiba, quem chegou primeiro pegou. A segunda não pega nada. Ache um outro lugar para você. - encarei a cara da garota estilo punk.

Senti um calafrio. Era melhor eu ter mantido a boca fechada e ter dado o lugar para ela porque ela tava "pegando fogo" de tanta raiva. Ela me jogou contra a parede com tanta força que quase quebrei as costelas.

- Não fique se achando, garotinha de terceira classe. - ela me congelou com os olhos frios dela.

- Você! Uma garota não deveria fazer isso certo? - era a voz de um garoto.

A voz era muito doce, como se eu fosse derreter só com isso. Olhei para o dono da voz e eu percebi que conhecia ele de algum lugar. Pensei, pensei e pensei. Até que me lembrei: esse foi o garoto que havia visto no caminho da academia.

- Você, garota punk, solte ela agora mesmo! Você é uma menina ou um menino?! Você deve ser uma menina, mas o seu jeito é de menino!

Eu corei na mesma hora. Quando vi direito, ele tinha um cabelo loiro e alguns fios eram pretos. Tinha um colar de cruz no pescoço e olhos azuis que nem a cor do gelo. Prefiro não falar mais como ele é porque vou ter um sangramento nasal. A garota punk me soltou e saiu da sala me encarando.

- Você está bem? Espero que esteja. - ele olhou para mim sorrindo
- Sim, estou. A quem posso agradecer.
- Desculpa, eu esqueci de me apresentar. Sou Sohrain Hellgrait, prazer em conhecê-la.
- Tudo bem. Sou Yuryel Meirè. Prazer em te conhecer também.
- Bom, não se importe com a Kurakabe Meiry. Ela sempre foi assim. Conheço ela desde a infância.

- Nossa. Vocês devem ser bons amigos. Os dois se conhecem a muito tempo!
- Na verdade, não somos. Ela me persegue toda hora e eu não gosto dela.
- Achei que voces nao se conheciam do jeito que você a chamou - .-.
- Haha, mas conhecemos desde pequenos.

Ele disse que tinha que ir e foi saindo da sala. Eu fiquei totalmente paralisada na hora, porque era muita coincidência encontrá-lo. Fiz minha aula na academia, depois peguei minhas coisas e fui. Estava a caminho da escola, andando feliz da vida e sem perceber, eu tinha esbarrado numa pessoa. Rapidamente me levantei e pedi desculpas um milhão de vezes. A pessoa me disse que estava tudo bem. Não sei por que, mas eu acho que conhecia a voz, então olhei para a pessoa e era o Sohrain Hellgrait!
Entao eu pensei " ou ele esta me perseguindo ou tem coisa errada aki, soh encontro ele toda hora"
Fui conversando e conversando e descobri que ele andava na mesma escola que eu! Decidimos então ir na escola juntos todo dia. Fiquei tão feliz com isso que dei até um pulo de alegria. Só que corei, porque ele estava lá e me viu comemorando.
Estávamos na mesma classe, por coincidência. Realmente, como pode? Então, chegou a aula de Educação Física. Como a nossa professora faltou, as garotas tiveram de fazer Educação Física com os garotos. Os garotos estavam jogando basquete, depois seria nossa vez. Sentei no chão e encostei na parede e comecei a olhar o Sohrain jogar. Sohrain jogava tão bem que corei por dentro. Os cabelos dele voavam cada vez que ele pulava para fazer uma cesta. Estava imaginando como iria ser o nosso beijo. Parecia ser tão bom. De repente, ouvi alguém dizer:

- Do que você está falando? - disse rindo
- Ah. Nada não. - fiquei corada.

Ele se levantou e foi para o banheiro se lavar, pois estava muito suado. Era a vez das garotas jogarem e eu não era boa em basquete, decidi então me esforçar muito pelo Sohrain. Fiquei jogando esforçadamente e de vez em quando, ficava vendo o doce olhar do Sohrain. Ele estava olhando para mim! Desta vez, corei mesmo. Devia ter ficado vermelha que nem pimenta.

- Ei!! Olhe a bola, cuidado! - disse alguém do meu time.

Percebi tarde demais, a bola de basquete bateu com muita força na minha cabeça. Caí no chão tonta e desmaiei. A única coisa que vi, foi o rosto do Sohrain. E frases como, eu levo ela para a enfermaria! e vou carregá-la nas costas ou nos braços.

Fiquei inconsciente por muito tempo, até que uma hora, acordei. Estava num quarto de hospital muito bonito. Olhei por todos lados, até que vi uma figura de um homem. Não sabia quem era, pois ainda não enxergava direito. O homem percebeu que eu estava consciente e logo começou a gritar:
- A Yuryel acordou! Doutor, ela acordou! - disse uma pessoa muito animada
Eu logo reconheci essa voz, era a voz do Sohrain!
Ai eu pensei "putz mal acordei e tem um galo gritando aki"!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Continue a história   Qui 30 Set 2010, 20:03

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.

- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você já está atrasada!! - retrucou minha mãe.

Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem. As pessoas estavam se amontoando em volta da garota. Vinha muitas ambulâncias e uma delas levou a pobre menina. Quando sai dessa multidão, o garoto havia sumido.


Estava atrasada, corri o máximo que pude para chegar na academia. Consegui chegar a tempo, antes de o professor chegar na sala. Estava totalmente cansada, não conseguia respirar direito, mas ainda sentei na minha carteira ao lado da janela.

- Ei, saia desse lugar agora. Ele é meu. - falou uma garota para mim.

Ela tinha um ar de chefe da área. O cabelo parecia o estilo punk, os olhares afiados que perfurava o coração, uma pinta preta no rosto e unhas pretas. Bom, eu não morri de medo, não sei porque. Virei-me e levantei uma sombrancelha.

- Bem... Que eu saiba, quem chegou primeiro pegou. A segunda não pega nada. Ache um outro lugar para você. - encarei a cara da garota estilo punk.

Senti um calafrio. Era melhor eu ter mantido a boca fechada e ter dado o lugar para ela porque ela tava "pegando fogo" de tanta raiva. Ela me jogou contra a parede com tanta força que quase quebrei as costelas.

- Não fique se achando, garotinha de terceira classe. - ela me congelou com os olhos frios dela.

- Você! Uma garota não deveria fazer isso certo? - era a voz de um garoto.

A voz era muito doce, como se eu fosse derreter só com isso. Olhei para o dono da voz e eu percebi que conhecia ele de algum lugar. Pensei, pensei e pensei. Até que me lembrei: esse foi o garoto que havia visto no caminho da academia.

- Você, garota punk, solte ela agora mesmo! Você é uma menina ou um menino?! Você deve ser uma menina, mas o seu jeito é de menino!

Eu corei na mesma hora. Quando vi direito, ele tinha um cabelo loiro e alguns fios eram pretos. Tinha um colar de cruz no pescoço e olhos azuis que nem a cor do gelo. Prefiro não falar mais como ele é porque vou ter um sangramento nasal. A garota punk me soltou e saiu da sala me encarando.

- Você está bem? Espero que esteja. - ele olhou para mim sorrindo
- Sim, estou. A quem posso agradecer.
- Desculpa, eu esqueci de me apresentar. Sou Sohrain Hellgrait, prazer em conhecê-la.
- Tudo bem. Sou Yuryel Meirè. Prazer em te conhecer também.
- Bom, não se importe com a Kurakabe Meiry. Ela sempre foi assim. Conheço ela desde a infância.

- Nossa. Vocês devem ser bons amigos. Os dois se conhecem a muito tempo!
- Na verdade, não somos. Ela me persegue toda hora e eu não gosto dela.
- Achei que voces nao se conheciam do jeito que você a chamou - .-.
- Haha, mas conhecemos desde pequenos.

Ele disse que tinha que ir e foi saindo da sala. Eu fiquei totalmente paralisada na hora, porque era muita coincidência encontrá-lo. Fiz minha aula na academia, depois peguei minhas coisas e fui. Estava a caminho da escola, andando feliz da vida e sem perceber, eu tinha esbarrado numa pessoa. Rapidamente me levantei e pedi desculpas um milhão de vezes. A pessoa me disse que estava tudo bem. Não sei por que, mas eu acho que conhecia a voz, então olhei para a pessoa e era o Sohrain Hellgrait!
Entao eu pensei " ou ele esta me perseguindo ou tem coisa errada aki, soh encontro ele toda hora"
Fui conversando e conversando e descobri que ele andava na mesma escola que eu! Decidimos então ir na escola juntos todo dia. Fiquei tão feliz com isso que dei até um pulo de alegria. Só que corei, porque ele estava lá e me viu comemorando.
Estávamos na mesma classe, por coincidência. Realmente, como pode? Então, chegou a aula de Educação Física. Como a nossa professora faltou, as garotas tiveram de fazer Educação Física com os garotos. Os garotos estavam jogando basquete, depois seria nossa vez. Sentei no chão e encostei na parede e comecei a olhar o Sohrain jogar. Sohrain jogava tão bem que corei por dentro. Os cabelos dele voavam cada vez que ele pulava para fazer uma cesta. Estava imaginando como iria ser o nosso beijo. Parecia ser tão bom. De repente, ouvi alguém dizer:

- Do que você está falando? - disse rindo
- Ah. Nada não. - fiquei corada.

Ele se levantou e foi para o banheiro se lavar, pois estava muito suado. Era a vez das garotas jogarem e eu não era boa em basquete, decidi então me esforçar muito pelo Sohrain. Fiquei jogando esforçadamente e de vez em quando, ficava vendo o doce olhar do Sohrain. Ele estava olhando para mim! Desta vez, corei mesmo. Devia ter ficado vermelha que nem pimenta.

- Ei!! Olhe a bola, cuidado! - disse alguém do meu time.

Percebi tarde demais, a bola de basquete bateu com muita força na minha cabeça. Caí no chão tonta e desmaiei. A única coisa que vi, foi o rosto do Sohrain. E frases como, eu levo ela para a enfermaria! e vou carregá-la nas costas ou nos braços.

Fiquei inconsciente por muito tempo, até que uma hora, acordei. Estava num quarto de hospital muito bonito. Olhei por todos lados, até que vi uma figura de um homem. Não sabia quem era, pois ainda não enxergava direito. O homem percebeu que eu estava consciente e logo começou a gritar:
- A Yuryel acordou! Doutor, ela acordou! - disse uma pessoa muito animada
Eu logo reconheci essa voz, era a voz do Sohrain!
Ai eu pensei "putz mal acordei e tem um galo gritando aki"!
Eu usava galo para uma pessoa com voz bonita. Não acreditava que ele tinha vindo até aqui para me ver! Eu fiquei tão envergonhada que logo me escondi embaixo do cobertor e Sohrain disse:
- Você está bem?
- E-estou, o-obrigada por se preo-preocupar. - disse eu que nem gaga
- Por que você tá se escondendo embaixo do cobertor? - ele disse dando uma risadinha
- Ahn.. estou com frio, apenas isso.
Na verdade, não era isso. O meu forte amor por ele impedia que eu fosse normal na frente dele.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sunlight

avatar

Mensagens : 394
Data de inscrição : 18/09/2010
Localização : em algum lugar sombrio

MensagemAssunto: Re: Continue a história   Sab 02 Out 2010, 20:13

O despertador estava tocando, e eu estava deitada na cama com preguiça de acordar para ir a academia. Minha mãe gritou para eu acordar e me levantei rápido, pois conhecia muito bem a raiva da minha mãe.

- Yuryel, desça logo. Você tem que ir para a academia certo? - minha mãe gritou para mim.
- Tá bom mãe. Só mais uns minutinhos. Eu estou me trocando. - gritei de volta.

Peguei a minha mala para ir a academia e desci as escadas para tomar o café da manhã.

- Mãe! Já disse que não gosto que coloque mel em cima da minha panqueca!
- Come logo e não reclama Yuryel que você já está atrasada!! - retrucou minha mãe.

Eu comi rapidamente meu café, me despedi da minha mãe e fui correndo para a academia. No meio do caminho vi um garoto lindo, prefiro não falar como ele é porque fiquei de olho em outra coisa, uma garotinha foi atropelada por um carro. Corri para lá, e fui ver se ela estava bem. As pessoas estavam se amontoando em volta da garota. Vinha muitas ambulâncias e uma delas levou a pobre menina. Quando sai dessa multidão, o garoto havia sumido.


Estava atrasada, corri o máximo que pude para chegar na academia. Consegui chegar a tempo, antes de o professor chegar na sala. Estava totalmente cansada, não conseguia respirar direito, mas ainda sentei na minha carteira ao lado da janela.

- Ei, saia desse lugar agora. Ele é meu. - falou uma garota para mim.

Ela tinha um ar de chefe da área. O cabelo parecia o estilo punk, os olhares afiados que perfurava o coração, uma pinta preta no rosto e unhas pretas. Bom, eu não morri de medo, não sei porque. Virei-me e levantei uma sombrancelha.

- Bem... Que eu saiba, quem chegou primeiro pegou. A segunda não pega nada. Ache um outro lugar para você. - encarei a cara da garota estilo punk.

Senti um calafrio. Era melhor eu ter mantido a boca fechada e ter dado o lugar para ela porque ela tava "pegando fogo" de tanta raiva. Ela me jogou contra a parede com tanta força que quase quebrei as costelas.

- Não fique se achando, garotinha de terceira classe. - ela me congelou com os olhos frios dela.

- Você! Uma garota não deveria fazer isso certo? - era a voz de um garoto.

A voz era muito doce, como se eu fosse derreter só com isso. Olhei para o dono da voz e eu percebi que conhecia ele de algum lugar. Pensei, pensei e pensei. Até que me lembrei: esse foi o garoto que havia visto no caminho da academia.

- Você, garota punk, solte ela agora mesmo! Você é uma menina ou um menino?! Você deve ser uma menina, mas o seu jeito é de menino!

Eu corei na mesma hora. Quando vi direito, ele tinha um cabelo loiro e alguns fios eram pretos. Tinha um colar de cruz no pescoço e olhos azuis que nem a cor do gelo. Prefiro não falar mais como ele é porque vou ter um sangramento nasal. A garota punk me soltou e saiu da sala me encarando.

- Você está bem? Espero que esteja. - ele olhou para mim sorrindo
- Sim, estou. A quem posso agradecer.
- Desculpa, eu esqueci de me apresentar. Sou Sohrain Hellgrait, prazer em conhecê-la.
- Tudo bem. Sou Yuryel Meirè. Prazer em te conhecer também.
- Bom, não se importe com a Kurakabe Meiry. Ela sempre foi assim. Conheço ela desde a infância.

- Nossa. Vocês devem ser bons amigos. Os dois se conhecem a muito tempo!
- Na verdade, não somos. Ela me persegue toda hora e eu não gosto dela.
- Achei que voces nao se conheciam do jeito que você a chamou - .-.
- Haha, mas conhecemos desde pequenos.

Ele disse que tinha que ir e foi saindo da sala. Eu fiquei totalmente paralisada na hora, porque era muita coincidência encontrá-lo. Fiz minha aula na academia, depois peguei minhas coisas e fui. Estava a caminho da escola, andando feliz da vida e sem perceber, eu tinha esbarrado numa pessoa. Rapidamente me levantei e pedi desculpas um milhão de vezes. A pessoa me disse que estava tudo bem. Não sei por que, mas eu acho que conhecia a voz, então olhei para a pessoa e era o Sohrain Hellgrait!
Entao eu pensei " ou ele esta me perseguindo ou tem coisa errada aki, soh encontro ele toda hora"
Fui conversando e conversando e descobri que ele andava na mesma escola que eu! Decidimos então ir na escola juntos todo dia. Fiquei tão feliz com isso que dei até um pulo de alegria. Só que corei, porque ele estava lá e me viu comemorando.
Estávamos na mesma classe, por coincidência. Realmente, como pode? Então, chegou a aula de Educação Física. Como a nossa professora faltou, as garotas tiveram de fazer Educação Física com os garotos. Os garotos estavam jogando basquete, depois seria nossa vez. Sentei no chão e encostei na parede e comecei a olhar o Sohrain jogar. Sohrain jogava tão bem que corei por dentro. Os cabelos dele voavam cada vez que ele pulava para fazer uma cesta. Estava imaginando como iria ser o nosso beijo. Parecia ser tão bom. De repente, ouvi alguém dizer:

- Do que você está falando? - disse rindo
- Ah. Nada não. - fiquei corada.

Ele se levantou e foi para o banheiro se lavar, pois estava muito suado. Era a vez das garotas jogarem e eu não era boa em basquete, decidi então me esforçar muito pelo Sohrain. Fiquei jogando esforçadamente e de vez em quando, ficava vendo o doce olhar do Sohrain. Ele estava olhando para mim! Desta vez, corei mesmo. Devia ter ficado vermelha que nem pimenta.

- Ei!! Olhe a bola, cuidado! - disse alguém do meu time.

Percebi tarde demais, a bola de basquete bateu com muita força na minha cabeça. Caí no chão tonta e desmaiei. A única coisa que vi, foi o rosto do Sohrain. E frases como, eu levo ela para a enfermaria! e vou carregá-la nas costas ou nos braços.

Fiquei inconsciente por muito tempo, até que uma hora, acordei. Estava num quarto de hospital muito bonito. Olhei por todos lados, até que vi uma figura de um homem. Não sabia quem era, pois ainda não enxergava direito. O homem percebeu que eu estava consciente e logo começou a gritar:
- A Yuryel acordou! Doutor, ela acordou! - disse uma pessoa muito animada
Eu logo reconheci essa voz, era a voz do Sohrain!
Ai eu pensei "putz mal acordei e tem um galo gritando aki"!
Eu usava galo para uma pessoa com voz bonita. Não acreditava que ele tinha vindo até aqui para me ver! Eu fiquei tão envergonhada que logo me escondi embaixo do cobertor e Sohrain disse:
- Você está bem?
- E-estou, o-obrigada por se preo-preocupar. - disse eu que nem gaga
- Por que você tá se escondendo embaixo do cobertor? - ele disse dando uma risadinha
- Ahn.. estou com frio, apenas isso.
Na verdade, não era isso. O meu forte amor por ele impedia que eu fosse normal na frente dele. U.U q sonho vo voar wueee.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Continue a história   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Continue a história
Voltar ao Topo 
Página 1 de 2Ir à página : 1, 2  Seguinte
 Tópicos similares
-
» VW Fusca - A História - Um ícone da Industria
» Hyouka - História
» História Do RPG Kitsune
» Fiat 500
» Indignação com os Correios BR!

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Melancholy :: Random Dreams :: Tea time :: Jogos-
Ir para: